CONTATO
Segunda a Sexta: Das 8h às 20h
Sábados: Das 8h às 12h
agendamento@clinicaecare.com.br
11 5080.8908

Transtorno Dismórfico Corporal, a briga obsessiva com a autoimagem

Você conhece alguém que tem uma preocupação exagerada com a aparência, e enxerga defeitos em si mesma que ninguém mais vê? Pessoas que, apesar de estarem em forma, vivem no “modo-dieta”, passam horas na academia e são reféns de cirurgias plásticas e toda sorte de procedimentos estéticos podem possuir um distúrbio comum, mas de difícil diagnóstico: o Transtorno Dismórfico Corporal (TDC).

Características como baixa autoestima, autocrítica destrutiva e até mesmo sentimentos de abandono podem desencadear o transtorno, que acomete principalmente adolescentes e jovens entre 15 e 20 anos (segundo o Serviço de Transtornos Alimentares do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas, em São Paulo), mas também pode se estabelecer entre adultos. O TDC se caracteriza por uma obsessão com supostos defeitos corporais, pequenos ou imaginários, fazendo com que os indivíduos portadores pensem sobre sua imagem de maneira distorcida e negativa durante várias horas em um único dia.

É comum aos portadores de TDC a busca incessante e exagerada por procedimentos estéticos. Em situações extremas, a condição pode levar o indivíduo ao isolamento social, evitando locais públicos e até mesmo sair de casa.

 

Alguns sintomas do TDC

-Preocupação com a aparência, e autoconsciência extrema

-Tocar, pegar, medir, olhar para o defeito, obsessivamente

-Ler ou pesquisar o defeito de maneira obsessiva

-Negligenciar aspectos importantes da vida (trabalho, família, saúde e bem-estar)

-Fixação em/ou medo de espelhos

-Uso de muitos itens para esconder os defeitos, como perucas, chapéus e maquiagem pesada

-Repetidos procedimentos dermatológicos ou cosméticos para as correções do defeito

 

O diagnóstico é difícil, pois os doentes se sentem envergonhados para admitir que sofrem com os sintomas, e, muitas vezes, ao invés de procurar um psiquiatra para tratamento, procuram alternativas estéticas na esperança de resolver os “defeitos” elaborados em suas mentes. Os profissionais da área médica também encontram dificuldades para diagnosticar o TDC, pois em vários casos o transtorno ainda é confundido com vaidade excessiva, por exemplo.

O tratamento é eficaz, mas deve ser constante, pois o Transtorno Dismórfico Corporal é um distúrbio psicológico crônico: a combinação de psicoterapia, especialmente a Terapia Cognitivo-Comportamental, e o tratamento psiquiátrico à base de medicamentos, ajudam o paciente a levar uma vida melhor, com os sintomas controlados.

 

Fonte: Psicoativo